Retrospectiva 2017 – O ano do “Nossa, passou tão rápido”

 

Olá, olá, oláááááá!

Eu deveria ter trazido esse Post antes do final do ano, mas decidi tirar umas férias do Blog e das redes sociais, por isso estou trazendo hoje, na metade da segunda semana do ano de 2018.

0e31805058c0bde720ee7c5a6faf4d9c

Imagem retirada do Pinterest

Continuar lendo “Retrospectiva 2017 – O ano do “Nossa, passou tão rápido””

Minha querida Depressão: O que aconteceu? #9

jiu-jitsu-contra-a-depressao
(Foto retirada do Google)

Depois de dois meses sem escrever nada sobre o assunto, decidi voltar e falar algumas coisas… Será que essa fase se encerrou?

Continuar lendo “Minha querida Depressão: O que aconteceu? #9”

Minha querida Depressão: “Eu estou aqui pra te ajudar” #8

Quinta-feira. Dia 10 de Novembro de 2016. 20h00.

Receber apoio em uma fase dessa, é uma das melhores coisas que podem acontecer.

Esses dias, eu tive um surto que não tinha a muito tempo, e não havia me acontecido nada para que eu realmente tivesse esse surto. Me vi sem ninguém para desabafar. Não que isso seja um problema – já que na maioria das vezes eu prefiro ficar quieta no meu canto e sofrer sozinha – mas naquele momento eu precisava falar, nem que eu não obtivesse resposta.

Continuar lendo “Minha querida Depressão: “Eu estou aqui pra te ajudar” #8″

“Carta” a todos os que estão comigo até agora.

Sexta-feira. Dia 11 de Novembro de 2016. 23h59.

Ao som de Can’t Stop The Feeling, um dos temas do filme “Trolls” interpretada por Justin Timberlake, começo a escrever um texto dedicados a todos os que estão comigo até o presente momento:

  • Aos meus amigos
  • Ao meu namorado
  • As minhas meninas
  • A minha chefe
  • A minha mãe.

Sei que não tem sido uma caminhada fácil e mesmo assim vocês não desistiram de mim.

Continuar lendo ““Carta” a todos os que estão comigo até agora.”

Minha querida Depressão: Não quero assistir a Aula! #3

Quinta-feira. Dia 15 se Outubro de 2016. 09h10.

Fazia quase 1 mês e meio que não ia para a faculdade, pois o único desejo meu era ficar deitada sem fazer nada. Preguiça? Não. Somente a sensação de não ter utilidade para o mundo. Ouço minha mãe levantar, e decido levantar também. “Hoje esse pensamento não irá tomar conta de mim!”, pensei.

Continuar lendo “Minha querida Depressão: Não quero assistir a Aula! #3”