Minha Querida Depressão: Por que você decidiu voltar? #10

Retirado de Drauzio Varella

31 de Maio de 2010. 03h39.

Hoje é um daqueles dias que, a anos, não acontecia: insônia, tremedeira e um turbilhão de coisas passando pela cabeça. Já tentei de tudo para conseguir dormir: desde orações até medicamentos, mas nada resolve. Viro de um lado para o outro e continuo sem conseguir dormir por 1 miserável hora.

Queria entender como tudo isso consegue ser causado. Ontem dormi durante 5 horas, acordei as 08h e desde então não descansei. Parece que recarregaram minha bateria e ela insiste em não acabar.

Parece impossível dormir, tentei chorar para aliviar o que eu estou sentido – sem razão alguma – porém sem sucesso.

Não sei onde tudo começou nas últimas semanas.

Entre faltas de ar e crises de ansiedade, tento viver minha vida de forma calma. Acredito que ficar isolada mexe realmente com o nosso psicológico e isso com certeza tem me deixado pior.

Estar em casa sozinha então, parece que tudo o que você queria esconder aparece bem atrás de você e tenta te cegar. Você tenta ser forte, porque você sabe que o mundo não é ruim e nem triste, ele só é um mundo e você que decide como irá decorá-lo.

Mas tenho me questionado de como fazer meu mundo em preto e branco se tornar colorido. Como colocar um pouco de cor nele? As vezes, para quem está vendo de fora, acha tudo perfeito, um conto de fadas vivido intensamente.

No final das contas tudo o que você sente é que está ajoelhado ao meio do nada pensando em como levantar do chão frio e abrir a janela para o sol entrar.

Minha querida Depressão: O que aconteceu? #9

jiu-jitsu-contra-a-depressao
(Foto retirada do Google)

Depois de dois meses sem escrever nada sobre o assunto, decidi voltar e falar algumas coisas… Será que essa fase se encerrou?

Continuar lendo “Minha querida Depressão: O que aconteceu? #9”

Minha querida Depressão: “Eu estou aqui pra te ajudar” #8

Quinta-feira. Dia 10 de Novembro de 2016. 20h00.

Receber apoio em uma fase dessa, é uma das melhores coisas que podem acontecer.

Esses dias, eu tive um surto que não tinha a muito tempo, e não havia me acontecido nada para que eu realmente tivesse esse surto. Me vi sem ninguém para desabafar. Não que isso seja um problema – já que na maioria das vezes eu prefiro ficar quieta no meu canto e sofrer sozinha – mas naquele momento eu precisava falar, nem que eu não obtivesse resposta.

Continuar lendo “Minha querida Depressão: “Eu estou aqui pra te ajudar” #8″

Minha querida Depressão: O “Não” ao Calmante e as Crises de Choro. #7

Segunda-feira. Dia 31 de Outubro de 2016.

Dia 28 de Outubro foi feriado do “Dia do Servidor Público”, e como eu trabalho em uma repartição pública, eu teria folga na sexta. Mas, como dia 02 de Novembro era Finados, o Prefeito da cidade decidiu mudar a data para dia 1º de Novembro, fazendo com que emenda-se 5 dias de folga para todos os servidores.

Decidi que ia tentar ficar sem calmante esses dias, já que ficaria longe do meu serviço e por conta disso poderia estar com o meu humor natural (ou seja, indefinido).

Continuar lendo “Minha querida Depressão: O “Não” ao Calmante e as Crises de Choro. #7″

Minha querida Depressão: Tomando calmante #6

Segunda-feira. Dia 24 de Outubro de 2016. 11h00.

Acordei e fui me arrumar para ir ao centro com a minha mãe. Cada dia que passava minhas crises estavam piorando, eu estava piorando e não sabia a alternativa para resolver toda essa situação. Já tinha ido a primeira consulta com a Psicóloga, e mesmo assim, tinha momentos que eu não conseguia me manter bem e estável.

Continuar lendo “Minha querida Depressão: Tomando calmante #6”

Minha querida Depressão: O final de semana com os amigos #5

Sábado. Dia 22 de Outubro de 2016. 20h30.

Minha amiga e meu irmão me chamaram pra ir para Curitiba aproveitar um final de semana, já que sabiam que eu estava meio mal. Não ia aceitar, afinal não estava em clima de ir,  mas minha mãe começou a falar que iria fazer bem.

Então eu fui.

Continuar lendo “Minha querida Depressão: O final de semana com os amigos #5”

Minha querida depressão: Crise no meio do serviço #4

Quinta-feira. Dia 20 de Outubro de 2016. 15h45.

Sintomas: Crise de Choro.

No meio de um dia do serviço, intercalando o meu olhar entre o computador e o celular, pensava o motivo da minha existência.

Resultado: Nada encontrado.

Meu corpo começou a tremer, e um soluço surgiu e ecoou na sala que estava vazia. Ia me dar vontade de chorar.

Continuar lendo “Minha querida depressão: Crise no meio do serviço #4”

Minha querida Depressão: Não quero assistir a Aula! #3

Quinta-feira. Dia 15 se Outubro de 2016. 09h10.

Fazia quase 1 mês e meio que não ia para a faculdade, pois o único desejo meu era ficar deitada sem fazer nada. Preguiça? Não. Somente a sensação de não ter utilidade para o mundo. Ouço minha mãe levantar, e decido levantar também. “Hoje esse pensamento não irá tomar conta de mim!”, pensei.

Continuar lendo “Minha querida Depressão: Não quero assistir a Aula! #3”

Minha querida Depressão: Por que não sou bonita? #2

Acordava todo dia entre 07h00 e 07h30 pra poder me arrumar pra ir pra faculdade. Me sentia linda, mesmo estando sem maquiagem, e me arrumava super bem.
Mas, depois da primeira crise, eu comecei a me sentir a mulher mais feia do mundo. As pessoas não entendem como funciona a mente de alguém que está num estado de depressão como eu estou. Nós nos sentimos feia, sem ser amada por alguém, e não importa o que você diga, nossa mente ainda vai fazer a gente acreditar que nada daquilo é verdade.

Continuar lendo “Minha querida Depressão: Por que não sou bonita? #2”

Minha querida Depressão: O início da crise #1

Domingo. Dia 09 de Outubro de 2016. 09h30.

Acordei sem vontade de levantar. Foi mais uma noite mal dormida.

Meu cachorro começou a chorar na porta querendo entrar no meu quarto, afinal ele sempre sabe quando eu acordo. Eu ouvia minha mãe dizer: “Calma filho, ela já vai levantar pra abrir a porta”… Mal sabia ela que eu estava com o meu desejo de levantar abaixo de 0.

Gritei do meu quarto: “Mãe, abre a porta pra ele por favor”. Ouvi os passos dela em direção a minha porta branca sanfonada e as patinhas do meu cachorro pegando impulso pra pular na minha cama. Ele rodou e deitou do meu lado.

Continuar lendo “Minha querida Depressão: O início da crise #1”