O Primeiro Amor a gente nunca esquece!

“O Primeiro amor deixa marcas para a vida inteira…”

– Nicholas Sparks

Sei que me ausentei do blog nesses últimos dias, mas foi simplesmente por falta de inspiração.

Estava tentando arranjar alguma maneira de começar a escrever sobre algo interessante ou sobre alguma frase que me fez pensar e simplesmente não conseguia achar as palavras corretas para expressar meus pensamentos.
Então, estou sentada na sala da minha casa, assistindo Transcedente: A Revolução (que, se você ainda não assistiu, é um filme que vale a pena e até a tempo atrás tinha na netflix), pensando em como começar esse texto que pode não ter sentido algum no final.

Então, parei e pensei no que poderia escrever. E eis que vejo uma reportagem sobre as “10 coisas que nunca vamos esquecer do ensino médio “, tópico 1: O Primeiro Amor. Então eu comecei a pensar se eu lembrava do meu primeiro amor e sim, eu lembro.

Meu primeiro amor atualmente tem uma namorada, e fiquei apaixonada por ele durante 3 anos.
Lembro que o conheci quando ele trabalhava na escola em que minha mãe dava aula e foi tipo,  aquele sentimento de amor platônico momentâneo. Lembro que eu ia nas festas só pra poder vê-lo. Eu tinha 12 para 13 anos na época, e ele não me dava bola, afinal, eu era uma pre-adolescente.
Não tinha contado dele para ninguém, na verdade demorei para contar para meus melhores amigos – que ainda tiram sarro de mim por isso. Quando ele saiu da escola da minha mãe, contei para a amiga dela que também era professora que estava afim dele e ela começou a me dar apoio em relação a ele – mesmo que, provavelmente, ela sabia que não iria acontecer nada.
Eu lembro daquele frio na barriga cada vez que o olhava, cada vez que recebia uma mensagem dele, e lembro o quanto eu queria que acontecesse alguma coisa quando eu estava com 16 anos. Mas a vida nos mandou para direções diferentes.
Eu, comecei a estudar a área de Informática e ele estava terminando pedagogia.

Acho que todos nós em algum momento temos uma paixão platônica, e aprendemos muito com esse tipo de amor. Noto que é um sentimento puro, não desses que adquirimos ao longo do tempo em que a vontade geralmente é beijar alguém, não.  O amor que sentimos é  aquele que você quer ficar do lado, andar rindo, sorrir de maneira boba, ficar horas e horas admirando. Amor esse, que acontece em dois momentos: na escola, quando estamos na pre-adolescência e quando nós tornamos adultos e encontramos alguém que nos faz sentir da mesma maneira quando nos apaixonamos pela primeira vez.

Hoje em dia, ele é feliz com as escolhas dele, e eu também estou sendo feliz com as minhas. Nos distanciamos, afinal, é  muito difícil depois de certo tempo (no meu caso, 9 anos) as coisas nao mudarem.

Eu espero que você esteja sendo feliz, meu primeiro amor!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s